Blog Biologia | Prof. Fernando Belan
 
 
 
 
Publicidade
15 Set
Doenças cardiovasculares 08:30
Doenças cardiovasculares
A alta prevalência das doenças cardiovasculares é hoje observada mundialmente. No Brasil, esse grupo de doenças é a primeira causa de óbitos, que frequentemente resultam de alguma complicação decorrente de aterosclerose (endurecimento das artérias em função do acúmulo de lipídios na parede interna das artérias).

A aterosclerose pode afetar qualquer artéria, mas ela ocorre com maior frequência na aorta, nas artérias coronárias e nas cerebrais. À medida que o diâmetro interno da artéria diminui, menor é o volume de sangue capaz de passar por esses vasos. A quantidade de lipídios em alguns casos pode ser tão grande a ponto de bloquear a passagem do sangue.

Com irrigação reduzida, o tecido passa a apresentar isquemia (falta de irrigação sanguínea).
No caso de isquemia cardíaca, em consequência de aterosclerose das coronárias (vasos que irrigam a musculatura do coração), a pessoa pode apresentar dores no peito, conhecidas como angina pectoris.

O ataque do coração é tecnicamente denominado infarto do miocárdio  e é a consequência mais grave da aterosclerose nas coronárias. Ele ocorre quando uma parte da musculatura cardíaca para de funcionar por ficar sem irrigação. A falta de oxigenação por alguns minutos já é suficiente para desencadear o infarto. Nesse casos a pessoa deve receber atendimento médico imediato. Passada a fase crítica, uma das maneiras para se resolver o problema é realizar a cirurgia de ponte de safena ou de veia mamária. Nela, constrói-se uma ou várias passagens para o sangue no local onde ocorreu o bloqueio da circulação, empregando-se uma das safenas da perna ou uma das mamárias. Esse tipo de cirurgia prolonga a vida dos indivíduos infartados.

A fibrilação ventricular é outra doença cardíaca decorrente de isquemia no coração. Nesse caso, diferentes partes do ventrículo passam a se contrair sem ritmo, perdendo a capacidade de bombear o sangue adequadamente.

A isquemia decorrente da aterosclerose da artéria cerebral provoca um dos tipos de acidente vascular cerebral (AVC). Dependendo da região do encéfalo que for afetada pela falta de irrigação sanguínea, podem ocorrer manifestações clínicas, como paralisia de um dos lados do rosto e/ou de um dos lados do corpo todo, e perda da fala, entre outras, podendo até mesmo ocorrer a morte.

Não há uma causa única para as doenças cardiovasculares, mas sabe-se que existem fatores que aumentam a probabilidades de sua ocorrência. São os chamados fatores de risco cardiovascular. Os principais são: hipertensão arterial, colesterol alto, colesterol alto, tabagismo, diabetes melito, sedentarismo, obesidade, hereditariedade e estresse.

Fonte: Lopes, S & Rosso, S. Conecte bio. vol 2. São Paulo, Saraiva, 2011.

Fazer um comentário neste post:

Comentar

Comentários

  • Nenhum comentário até agora. Seja o primeiro a comentar!

Voltar