Blog Biologia | Prof. Fernando Belan
 
 
 
 
Publicidade
04 Dez
Se uma plantação de maconha pegar fogo, as pessoas perto ficam chapadas? 11:40
 Se uma plantação de maconha pegar fogo, as pessoas perto ficam chapadas?
Sim, em tese. Uma pessoa pode sentir os efeitos da substância que gera o “barato”, o delta-9-tetrahidrocanabinol (THC), apenas inalando a substância, desde que seja em uma dose minimamente efetiva, o que vai depender de cada indivíduo e da concentração de THC na planta. Mas, na prática, alguém perto de uma plantação não sentiria os efeitos da fumaça, porque a concentração do THC já estaria baixa até a fumaça chegar aos vizinhos.

“Na forma fumada uma pequena quantidade de fumaça inalada pode produzir efeitos, enquanto que na forma de inalação por exposição (ambiente fechado) a quantidade de fumaça necessária para produzir efeitos significativos deverá ser muito maior”, explica Lucas Maia, pesquisador do Maconhabrás, grupo científico de estudos sobre a maconha, do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), da Universidade Federal de São Paulo.

É na flor do Cannabis spp que o THC está em maior concentração. Por isso, vamos imaginar que plantação esteja em fase de florescimento, momento em que haveria maior quantidade de THC.  Na planta, a substância está em forma de óleo, que viraria gás ao entrar em contato com as altas temperaturas. Mas, ao subir com a fumaça e se afastar do fogo, o THC precipitaria e voltaria ao estado sólido, em forma de óleo, explica Maia. “A fumaça que atingiria uma população próxima estaria desprovida de uma alta concentração de THC, de forma que dificilmente a inalação desta fumaça poderia ter efeitos psicoativos”, explica.

Além disso, a fumaça também estaria cheia dos vapores e resíduos da celulose e da queima das folhas e dos caules. “Então, próximo do local da queima, será provavelmente muito difícil inalar esta fumaça sem tossir e obter dela a concentração suficiente para se inebriar”, explica Renato Malcher Lopes,  professor e pesquisador no Laboratório de Neurobiologia e Comportamento da Universidade de Brasília (UnB). Considerando que a pessoa se distancie o suficiente para evitar o conteúdo irritante da fumaça, também vai se afastar dos vapores dos princípios ativos. Até daria pra sentir os efeitos dos princípios ativos, mas a pessoa teria que respirar bastante daquela solução gasosa e estar disposta a se defumar durante o processo. “E, mesmo assim, como a dosagem será obtida aos poucos ao longo de, supostamente, um período bem mais demorado que o normal, talvez o acúmulo de canabinoides no sangue não chegue a ser suficiente para tanto”, conclui Malcher Lopes.

Resumindo: uma baita duma porcaria de ideia, diga-se de passagem.

FONTE

Fazer um comentário neste post:

Comentar

Comentários

  • Nenhum comentário até agora. Seja o primeiro a comentar!

Voltar