Blog Biologia | Prof. Fernando Belan
 
 
 
 
Publicidade
25 Mar
Conheça a "Boca do Inferno", uma cratera que queima a mais de 40 anos. 11:23
Conheça a
No deserto de Karakum, no Turcomenistão, a temperatura chega a 50 graus. Mas isso é fichinha para quem chega perto da Porta do Inferno. Há 43 anos, uma cratera com 60 metros de largura e 20 de profundidade queima perto da vila de Darweze.

A coisa começou em 1971, quando engenheiros soviéticos (sempre eles) descobriam que havia um depósito de gás natural no local. Isso geralmente é indício de petróleo, e puseram-se a furar o chão, fazendo alojamentos e armazenando o gás em grandes botijões perto da perfuratriz. Após alguns dias, o solo cedeu e todo o material foi ao fundo – sem causar vítimas. Preocupados com os gases tóxicos subindo do buraco, com a típica sutileza da engenharia soviética, atearam fogo, achando que a reserva se extinguiria em algumas semanas.

Grande erro: a Porta do Inferno se situa sobre uma das maiores reservas de gás natural do mundo. Assim como a vila abandonada de Chernobyl, acabou se tornando atração turística. Ano passado, o explorador canadense George Korounis deu uma descidinha para ver o que tinha lá em baixo. Incrivelmente, achou bactérias.

Ao menos sabemos quem herdará o mundo.

Fonte:

Fazer um comentário neste post:

Comentar

Comentários

  • karine

    Publicado 40 meses atrás

    Excelente matéria, muito interessante, sempre as bactérias adaptáveis a locais inesperados e impróprios a sobrevivência dos seres vivos em geral.
Voltar