Blog Biologia | Prof. Fernando Belan
 
 
 
 
Publicidade
O tecido muscular se regenera após uma lesão?
No indivíduo adulto, os três tipos de tecidos musculares respondem de forma distinta quando ocorre lesão por destruição parcial do músculo.

Na musculatura esquelética, entram em ação as células satélites que reconstituem o tecido, em vez que as células musculares adultas não se dividem mais.

Já o músculo cardíaco só é capaz de se regenerar após lesões nos primeiros anos de vida do indivíduo. Depois, forma-se uma cicatriz no local lesado, por proliferação de tecido conjuntivo.

As células musculares lisas, por outro lado, mantêm a capacidade de se dividir e conseguem reparar o músculo … Leia mais
Exercícios e o aumento da massa muscular esquelética
Sabemos que exercícios físicos promovem o aumento da musculatura esquelética, mas o que aumenta: o número de células no músculo ou o volume das células já existentes?

A atividade física estimula as células musculares esqueléticas já existentes a produzirem novas miofibrilas, o que ocasiona aumento do volume da célula e consequentemente do músculo.

No indivíduo adulto, as células da musculatura esquelética não se dividem mais. No entanto, existem células especiais, chamadas satélites, que são mononucleadas e pequenas e se localizam no conjuntivo que envolve os miócitos. Em situações … Leia mais
A coagulação do sangue.
Quando ocorre um ferimento com sangramento, as fibras musculares do vaso sanguíneo danificado contraem-se, diminuindo o diâmetro do vaso e consequentemente o fluxo de sangue.

As plaquetas e as células dos tecidos lesados liberam uma enzima chamada tromboplastina, que, na presença de íons cálcio e de vitamina K no sangue, catalisa uma reação química propiciando a transformação de uma proteína plasmática chamada protrombina em uma enzima ativa, a trombina. Essa enzima catalisa a reação de transformação de outra proteína plasmática, o fibrinogênio, em fibrina. Esta forma uma rede de fios no … Leia mais
A anemia é uma doença que pode ter várias causas. Uma delas é a redução do número de hemácias no sangue abaixo do mínimo considerado normal, o que pode ser causado por hemorragias constantes, produção insuficiente de hemácias na medula óssea e destruição acelerada de hemácias.

No entanto, muitas vezes o número de hemácias é normal, mas cada uma delas contém pouca hemoglobina, o que também pode provocar anemia. Assim, nos exames de sangue geralmente são fornecidos dados sobre o número de hemácias e sobre a quantidade de hemoglobina. A redução da quantidade de hemoglobina pode ser decorrente … Leia mais
Video-Aula 02. O site Biologia Mais revisa nesta video-aula os tipos de revestimentos celulares, como parede celular, glicocálix e membrana plasmática. A composição das paredes, a função do glicocálix e componentes e modelo mosaico fluido da membrana.
É verdade que a falta de vitamina C pode provocar a queda dos dentes?
Na época das grandes navegações dos séculos XV e XVI, era comum ocorrer entre os marinheiros uma doença chamada escorbuto, caracterizada por uma degeneração dos tecidos conjuntivos. Os sintomas dessa doença são inflamações das gengivas, dentes frouxos (que depois caem) e hemorragias na boca e generalizadas pelo corpo que acabam levando o indivíduo à morte.

Nessa época, durante as viagens os marinheiros não ingeriam frutas nem verduras frescas, principalmente fontes de vitamina C (ácido ascórbico), cuja falta provoca o escorbuto.

Um das funções da vitamina C é participar do processo de … Leia mais
Video-Aula 01 - Biologia Mais - Veja os principais transportes através da membrana plasmática - difusão simples, facilitada e osmose, além do transporte ativo da bomba de sódio e potássio. Após a primeira parte, veja ainda exemplos de fagocitose e
Saiba um pouco mais sobre Síndrome de Down.
A Síndrome de Down não é contagiosa, não é adquirida, ela é simplesmente gerada por apenas 1 cromossomo a mais nas nossas células, que normalmente apresentam 46 cromossomos no núcleo (Relembre na matéria sobre CITOGENÉTICA) dispostos aos pares, do número 1 ao 23, que durante a formação dos gametas de homens e mulheres, se separaram nos espermatozoides e óvulos para que quando ocorra a fecundação, o embrião tenha exatamente os 46 cromossomos característicos de nossa espécie.

Pois bem, é nesse momento, chamado de meiose, que pode ocorrer o que é conhecido como NÃO-DISJUNÇÃO, que é a não … Leia mais
Como o cacto sobrevive no deserto?
Por meio de um inteligente conjunto de adaptações que desenvolveu ao longo de sua evolução. Há dezenas de espécies diferentes, com alguns "espinhões" chegando a medir quase 20 metros de altura, enquanto outros não passam de 1 centímetro. Os cactos também têm flores, e alguns dão até frutos comestíveis, como o figo-da-índia, que, apesar do nome, nasce de uma variedade tipicamente mexicana.


GORDINHO SAUDÁVEL
Alguns cactos ainda foram além nas artimanhas para sobreviver. Os simpáticos cactos em formato de bola chegaram ao desenho perfeito: combinam a maior capacidade de armazenamento com a … Leia mais
Como as pérolas se formam?
Elas são a reação das ostras a um intruso em sua concha. A pérola é o resultado de uma espécie de defesa de organismo do molusco a um invasor – organismo externo que pode ser desde um grão de areia até um parasita. Nem todas as ostras formam pérolas, somente as perlíferas que fazem parte das famílias Pteriidae (de água salgada) e Unionidae (de água doce). E também não são todas as pérolas que têm valor comercial – apenas as que saem bem redondinhas.

A maioria delas, porém, cresce grudada na concha da ostra, como se fosse uma verruga, e fica em formato de meia esfera, o que tira dela a … Leia mais